domingo, janeiro 31, 2010

100 anos da República em Portugal

 
(clicar para aumentar)


No dia 31 de Janeiro de 1891, na cidade do Porto, registou-se um levantamento militar contra as cedências do Governo (e da Coroa) ao ultimato britânico de 1890 por causa do Mapa Cor-de-Rosa, que pretendia ligar, por terra, Angola a Moçambique.


Na madrugada do dia 31 o Batalhão de Caçadores nº 9, liderados por sargentos, se dirigem para o Campo de Santo Ovídio, hoje Praça da República, onde se encontra o Regimento de Infantaria 18 (R.I.18). Ainda antes de chegarem, junta-se ao grupo, o alferes Malheiro, perto da Cadeia da Relação; o Regimento de Infantaria 10, liderado pelo tenente Coelho; e uma companhia da Guarda Fiscal. Embora revoltado, o R.I.18, fica retido pelo coronel Meneses de Lencastre, que assim, quis demonstrar a sua neutralidade no movimento revolucionário.


Os revoltosos descem a Rua do Almada, até à Praça de D. Pedro, (hoje Praça da Liberdade), onde, em frente ao antigo edifício da Câmara Municipal do Porto, ouviram Alves da Veiga proclamar da varanda a Implantação da República. Acompanhavam-no Felizardo Lima, o advogado António Claro, o Dr. Pais Pinto, Abade de S. Nicolau, o Actor Verdial, o chapeleiro Santos Silva, e outras figuras. Verdial leu a lista de nomes que comporiam o governo provisório da República e que incluíam: Rodrigues de Freitas, professor; Joaquim Bernardo Soares, desembargador; José Maria Correia da Silva, general de divisão; Joaquim d'Azevedo e Albuquerque, lente da Academia; Morais e Caldas, professor; Pinto Leite, banqueiro; e José Ventura Santos Reis, médico.


Foi hasteada uma bandeira vermelha e verde, pertencente a um Centro Democrático Federal. Com fanfarra, foguetes e vivas à República, a multidão decide subir a Rua de Santo António, em direcção à Praça da Batalha, com o objectivo de tomar a estação de Correios e Telégrafos. No entanto, o festivo cortejo foi barrado por um forte destacamento da Guarda Municipal, posicionada na escadaria da igreja de Santo Ildefonso, no topo da rua. O capitão Leitão, que acompanhava os revoltosos e esperava convencer a guarda a juntar-se-lhes, viu-se ultrapassado pelos acontecimentos. Em resposta a dois tiros que se crê terem partido da multidão, a Guarda solta uma cerrada descarga de fuzilaria vitimando indistintamente militares revoltosos e simpatizantes civis. A multidão civil entrou em debandada, e com ela alguns soldados.


Os mais bravos tentaram ainda resistir. Cerca de trezentos barricaram-se na Câmara Municipal, mas por fim, a Guarda, ajudada por artilharia da serra do Pilar, por Cavalaria e pelo Regimento de Infantaria 18, força-os à rendição, às dez da manhã. Terão sido mortos 12 revoltosos e feridos 40.


Os nomeados para o "Governo Provisório" trataram de esclarecer não terem dado autorização para o uso dos seus nomes. Dizia o prestigiado professor Rodrigues de Freitas, enquanto admitia ser democrata-republicano: "mas não autorizei ninguém a incluir o meu nome na lista do governo provisório, lida nos Paços do Concelho, no dia 31 de Janeiro, e deploro que um errado modo de encarar os negócios da nossa infeliz pátria levasse tantas pessoas a tal movimento revolucionário."


A reacção oficial seria como de esperar, implacável, tendo os revoltosos sido julgados por Conselhos de Guerra, a bordo de navios, ao largo de Leixões: o paquete Moçambique, o transporte Índia e a corveta Bartolomeu Dias . Para além de civis, foram julgados 505 militares. Seriam condenados a penas entre 18 meses e 15 anos de degredo em África cerca de duzentas e cinquenta pessoas. Em 1893 alguns seriam libertados em virtude da amnistia decretada para os então criminosos políticos da classe civil.


Em memória desta revolta, logo que a República foi implantada em Portugal, a então designada Rua de Santo António foi rebaptizada para Rua de 31 de Janeiro, passando a data a ser celebrada dado que se tratava da primeira de três revoltas de cariz republicano efectuadas contra a monarquia constitucional (as outras seriam o Golpe do Elevador da Biblioteca, e o 5 de Outubro de 1910.

sábado, janeiro 30, 2010

AB em destaque

 
(clicar para aumentar)


Para a revista Exame, a Abreu Advogados é o quinto melhor lugar para trabalhar em Portugal! Não é para todos!

Madeira devedora

 
(Imagem: Diário de Notícias)


Um estudo desenvolvido pelo BPI veio tornar público que a dívida pública da Madeira é duas vezes superior ao valor que até a data era conhecido. Porque se o governo inscrevia nas suas contas mil milhões de euros de passivos bancários - dívida directa - e cerca de 1.200 milhões de garantias financeiras (dívida indirecta), sabe-se agora que esse valor não traduz a totalidade das dívidas à banca, pelo que deverão existir mil milhões de euros que não estão avalizados pela Região. A reportagem é do DN.

quinta-feira, janeiro 28, 2010

quarta-feira, janeiro 27, 2010

Coerências...

 


O Governo recusa em absoluto a revisão da Lei das Finanças Regionais, argumentando que ele acrescenta despesa ao Orçamento do Estado (OE 2010), cuja proposta entrou ontem na AR pelas 22 horas e 20 minutos. Para hoje está agendada a votação e discussão da LFR na especialidade. A votação final poderá ser já amanhã. O Governo agita o fantasma de uma crise política e Sócrates já ameaçou com eleições antecipadas. Actualmente a discussão gira em torno do aumento das transferências anuais para as regiões autónomas: 74 milhões para a Madeira, 7,5 para os Açores. Que o Governo igualmente recusa.


No entanto, Teixeira dos Santos, ministro das Finanças, confirmou que Portugal comprometeu-se com o Fundo Monetário Internacional (FMI) a emprestar a Angola até 140 milhões de euros já em 2010, ao abrigo do megaempréstimo no valor de 2,35 mil milhões de euros organizado pelo Fundo à ex-colónia portuguesa e a entrar nos cofres de Luanda já em Março próximo. Este crédito obrigará Portugal a endividar-se ainda mais no exterior, num contexto de aumento das taxas de juro, para, por sua vez, emprestar ao Governo de Eduardo dos Santos, numa altura em que a dívida externa portuguesa ultrapassa os 100% do produto interno bruto (PIB), de acordo com os dados mais recentes do Banco de Portugal.

Coincidências tramadas

 


Uma noticia chamou-me hoje à atenção. Trata-se da auto-estrada 16, um investimento de 127,5 milhões de euros, que liga Cascais a Sintra, que a partir desta terça-feira vai ser alvo de obras de correcção do pavimento, apenas quatro meses depois de ter sido inaugurada.


Isto ter-me-ia passado ao lado não fossem três pormenores interessantes: esta obra faz parte do projecto da nova concessão da Grande Lisboa adjudicada pelo actual governo socialista de José Sócrates. O projecto foi adjudicado à construtora Mota Engil, onde o ex-Ministro de Estado e do Equipamento Social e Obras Públicas do governo de Guterres, Jorge Coelho (e confesso amigo íntimo do primeiro ministro) é presidente executivo. Por sua vez, a concessão da via foi entregue à empresa Ascendi, pertencente ao grupo Mota Engil, liderada por Luís Parreirão, antigo secretário de Estado de Jorge Coelho.


Já agora, e só a título de curiosidade, Coelho e Parreirão foram recentemente constituídos arguidos na investigação à transferência de verbas para o Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), em Santarém.


Entretanto, a via fechou mesmo para obras. Há coincidências chatas, não há?

segunda-feira, janeiro 25, 2010

Record português do Guinness

 
(Foto: LG Mobile World Championship)


Um minuto e 59 segundos foi o tempo que Pedro Matias demorou a realizar o “sonho longínquo” de ter o nome no livro do Guinness. O português, de 27 anos, foi o mais rápido a escrever uma mensagem num telemóvel, num campeonato mundial de SMS, que decorreu este mês, em Nova Iorque.

Vaticano precisa de dinheiro

 
(Foto: Basílica de São Pedro)


O Vaticano lançou um apelo à generosidade dos fiéis, referindo que as suas finanças apresentam "dificuldades persistentes", de acordo com um comunicado oficial ontem divulgado. Os cardeais encarregados de controlar as finanças da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano informaram ter esperança numa "ligeira melhoria", apesar do "quadro geral de dificuldades persistentes" para 2010, refere o mesmo documento.


O Vaticano não divulgou as previsões financeiras para 2010 e as relativas a 2009 só deverão ser publicadas no final deste ano. Apesar de um regime fiscal especial e de uma riqueza avaliada entre 10 a 15 biliões de euros, o défice de 2008 foi de quase um milhão de euros.


Que tal um leilão para angariar fundos? Podiam começar com o extenso rol de obras artísticas que estão dentro de caixotes, há dezenas de anos, nas caves dos Arquivos do Vaticano...

Insularidade orçamental

 
O Diário de Notícias noticia hoje "um estudo feito pelo Governo Regional (que) denuncia que o Estado e Europa garantiram nos últimos 12 anos mais 28% de verbas para os Açores". A propósito da revisão da Lei das Finanças Regionais, e das palavras do presidente açoriano Carlos César que "considerou um roubo as pretensões madeirenses e que a revisão lesaria os Açores", fontes do Governo Regional da Madeira revelaram que tencionam tornar público os montantes que o Estado tem afectado a cada região, com destaque para os investimentos públicos, bem como para a disparidade existentes entre Açores e Madeira no que respeita aos encargos com a regionalização de serviços.


Alguns dados já são aparentemente conhecidos. Tendo como referência a entrada em vigor da primeira lei que regulou as transferências anuais do Estado para as Regiões Autónomas (a lei de Sousa Franco, de 1998), o estudo mostra que os Açores receberam do Estado, desde então, 4.083 milhões de euros, mais 1.027 milhões de euros do que a Madeira (3.056 milhões). No entanto, os resultados são drasticamente diferentes.


 
(clicar para aumentar)


Todos os dados carecem de confirmação oficial mas não deixam de revelar uma grande disparidade entre as ilhas, francamente notória no desenvolvimento estrutural, apesar da "nona" insularidade dos Açores. Seja como for, parece-me um erro querer justificar mais percentagem orçamental para a Madeira com base num critério de comparação. Justifique-se os valores e comprove-se a sua aplicação.

quinta-feira, janeiro 21, 2010

Guardar os destroços

 
(Foto: Carlos Barria/Reuters)


Um segurança privado montou guarda à porta deste armazém completamente destruído pelo sismo e pelas chamas em Port-au-Prince. Tudo o que os haitianos têm para guardar são destroços e ruínas. As cenas de violência para conseguir água, comida e bens essenciais repetem-se um pouco por todo o lado.

quarta-feira, janeiro 20, 2010

Portugal condenado por entraves à liberdade de expressão

 
(Foto: Vincent Kessler / Reuters)


O jornalista António José Laranjeira publicou, em 2000, dois artigos no semanário regional "Notícias de Leiria", de que era director, em que citava fontes que acusavam Ferreira Júnior, um antigo autarca de Leiria, de alegado abuso sexual a uma doente. O Tribunal de Leiria acabou por o condenar por um crime de violação de segredo de justiça e dois de difamação.


Agora o Conselho Europeu no Tribunal de Direitos do Homem considerou que o “interesse público” do tema se sobrepunha à protecção do inquérito judicial que decorria e à reputação do arguido, já que o facto de um dos visados da notícia ter cargos políticos e ser uma figura pública, justificava que pudesse haver quebra de protecção de segredo de Justiça, e condenou o Estado português a pagar 8.700 euros a António Laranjeira por danos materiais.


Mais uma aviso à navegação...

'Sagres' em circum-navegação

 


 
A Sagres partiu ontem, do cais de Alcântara, para uma missão de onze meses à volta do mundo – algo que não fazia há 27 anos. Construída na Alemanha, em 1937, depois da II Guerra Mundial, ficou na posse do Brasil, onde foi baptizada como Guanabara. Em 1962 foi comprada pela Marinha portuguesa, tendo desde então servido como navio-escola e como representação do país no exterior. Esta será a sua terceira volta ao mundo, em 48 anos ao serviço de Portugal. A primeira foi feita em 1978/79 e a segunda em 1983/84.

terça-feira, janeiro 19, 2010

'Avatar' vence Globos de Ouro

 
(Foto: Valerie Macon/AFP/Getty Images)


O épico 3D de James Cameron, "Avatar", foi o grande vencedor dos Globos de Ouro que decorreram esta madrugada em Los Angeles, tendo conquistado a estatueta de melhor filme e de melhor realizador. Um sinal para os Óscares?

Centros de reprodução

 
(Foto: kellywardphoto.com)


Hoje podia-se ler duas notícias muito curiosas no Público. Na primeira lia-se que "Nunca nasceram tão poucos bebés em Portugal", pelo menos desde que há dados fiáveis. Em Outubro passado, Rui Vaz Osório, presidente da Comissão Nacional para o Diagnóstico Precoce, já antecipava que em 2009 a natalidade iria cair para um mínimo histórico. Os dados dos "testes do pezinho" indicam agora que as suas previsões mais pessimistas - ficar abaixo da fasquia dos 100 mil nascimentos - só não se confirmaram por pouco.


A outra notícia anunciava que já havia começado a "junção de casais de lince-ibérico no Centro Nacional de Reprodução em Cativeiro para o Lince-Ibérico (CNRLI)", em Silves, numa tentativa de combater o desaparecimento do felino mais ameaçado do planeta.


Relacionando estas duas notícias surge-me como inevitável a seguinte uma ideia: que tal medidas de apoio e incentivo à reprodução de 'Homo Sapiens' portugueses? Ou será que a solução também passará por centros de reprodução?

sábado, janeiro 16, 2010

Um "milagre" no Haiti

 
No meio da destruição e do caos, há sempre histórias que mais parecem milagres. Uma equipa de televisão australiana ajudou a salvar uma bebé de 18 meses, de nome Winnie, que estava presa nos escombros de uma casa em Port-au-Prince, desde o sismo de magnitude 7.0 na escala de Richter devastou o Haiti.


Winnie aguentou 3 dias, sem água nem comida, e saiu ilesa, praticamente sem arranhões. O mesmo destino não teve os pais da criança, que faleceram nos escombros.


 

E agora?

 
(clicar para aumentar)

sexta-feira, janeiro 15, 2010

Google vs China


A gigante da Internet Google está em rota de colisão com o governo chinês e já admitiu poder vir a ser forçada a sair do país, depois de ter anunciado o fim da censura nas pesquisas realizadas pelos cidadãos chineses no motor de busca, como era exigido pelas autoridades de Pequim.


Esta decisão surgiu depois de a Google ter identificado em meados de Dezembro um ataque sofisticado e direccionado por parte de hackers aos e-mails de activistas dos direitos humanos chineses. Foi um ataque originado na China, que a Google não atribuiu directamente ao Governo chinês, mas que levou a empresa a dizer-se indisponível para continuar a restringir os resultados das pesquisas na Internet e pôr fim à censura com que se comprometeu em 2006, quando iniciou actividade no mercado chinês.


Esta ameaça da Google coloca a administração americana em 'cheque' face à China. Por um lado tem de enfrentar um peso pesado na sua economia externa. Por outro é condicionado pelo grande número de vozes de vários quadrantes que exigem uma mudança radical nas práticas chinesas no comércio global, no cerceamento da liberdade de informação e no desrespeito pelos direitos humanos.


Para mais, a dimensão da Google é impossível de ignorar. Basta só pensar que em 2009, o Google chinês foi avaliado em mais de mil milhões de dólares, e os analistas apontavam para que a empresa obtivesse lucros de cerca de 600 milhões de dólares em 2010. É muito capital.

quarta-feira, janeiro 13, 2010

Haiti - Terra Maldita

 


(Fotos: Eduardo Munoz/REUTERS)


O Haiti foi o primeiro país latino-americano a declarar-se independente (1804), depois de ferozes lutas com os colonizadores franceses. Hoje, além de ser um dos países mais pobres do mundo, a sua História, é feita de períodos muito conturbados, com muitos dos seus governantes a serem depostos e assassinados, quer pelas potências colonizadoras (França e Espanha), quer pelas forças de oposição ao regime de Papa Doc e Baby Doc. Há muito que o Haiti não vive em paz e actualmente nem pode ser um estado soberano, dada a presença de uma força de segurança da ONU que assumiu os destinos do país.


O Haiti é ciclicamente assolado por desastres naturais. Port-au-Prince foi parcialmente afectada por um sismo de magnitude 6.7 em 1984. Em 2004, mais de três mil pessoas morreram na sequência do furacão "Jeanne", que dizimou a cidade de Gonaives, no noroeste do país. Quatro anos mais tarde, a mesma cidade foi novamente devastada por quatro sistemas tropicais. Desde 2008, os furacões "Gustav", "Hanna" e "Ike" mataram 800 pessoas e causaram prejuízos avaliados em mil milhões de dólares.


Sabe-se já que três milhões de pessoas foram afectadas – ou seja, um terço da população. O tremor de terra – que com magnitude 7 foi o pior no país em 200 anos – fez ruir o palácio presidencial, o Parlamento, um edifício da ONU, escolas, hospitais e casas de lata à beira de ravinas. A capital do Haiti, Port-au-Prince, ficou coberta com um manto de poeira de edifícios destruídos. Poderão ter morrido "bem mais de cem mil pessoas" no terramoto no Haiti, afirmou à estação de televisão norte-americana CNN o primeiro-ministro do país, Jean-Max Bellerive.


Há mesmo sítio desagraçados no mundo.

terça-feira, janeiro 12, 2010

Estátuas vandalizadas em Fátima

 
(Foto:True Companion)


As quatro estátuas que ladeiam a igreja da Santíssima Trindade (dos papas Paulo VI, João Paulo II e Pio XII, e do bispo D. José Alves Correia da Silva) e a própria igreja, no exterior, foram alvo, na madrugada de domingo, de inscrições tipo graffiti, a negro, com as palavras "Islão", "Lua", "Sol", "Muçulman" e "Mesquita".


É evidente que quem escreveu tais coisas não professam a religião islâmica, mas, em acto de estúpida brincadeira, quiseram dar a entender que eram seguidores da doutrina de Maomé. Pena que não percebam nada daquilo e escrevam os disparates que escreveram.


No entanto, isto vem dar a entender duas coisas: a crescente influência islamita em Portugal e o crescente desrespeito e indiferença pelos locais sagrados do Catolicismo no nosso país. Uma mistura explosiva, a meu ver...

Meet Roxxxy

 
(Foto:True Companion)


Roxxxy, assim mesmo, com três xis, a avisar das suas intenções. “Não cozinha, não aspira, mas faz tudo o resto”, assegurou o inventor desta boneca que é um robô sexual e que foi apresentada em Las Vegas, numa exposição consagrada ao entretenimento para adultos. Assumindo-se como o derradeiro brinquedo sexual, a Roxxxy promete pôr as bonecas insufláveis fora do mercado.


A Roxxxy tem 1,73 m de altura, 54 quilos, sutiã copa C, pele sintética que imita a pele humana, coração mecânico, inteligência artificial, tem órgãos sexuais artificiais e um esqueleto que se pode articular, tal como um corpo humano. Foi dotada de personalidade individual (ouve e pode manter conversas com o utilizador, a partir de um programa de inteligência artificial que armazena os gostos pessoais), pré-formatada ou configurável.


A Roxxxy pode ainda ser ligada à Internet mediante uma rede wireless para receber actualizações, pode ser reparada e pode, inclusivamente, enviar e-mails “picantes” ao seu proprietário.


Há, porém, dois pontos a desfavor: não pode mover os seus membros de maneira autónoma e custa entre 7000 e 9000 dólares (4855 e 6242 euros), mais uma taxa de inscrição. Pormenores... digo eu!

Produtor português do 'West End'

 
(Imagem Oficial)


Quando chegou a Londres, Inglaterra, Fernando Pinho era apenas mais um estudante, com a desvantagem de ter escolhido a carreira teatral tarde de mais. Três anos depois, pela primeira vez em 130 anos de existência, a prestigiada Guildhall School of Music and Drama permitiu a um aluno produzir o seu próprio espectáculo utilizando os meios disponíveis. "The Last Five Years" estreia amanhã na capital inglesa.


"The Last Five Years" chegará a Portugal no final do ano, com uma primeira paragem em Guimarães, terra natal de outra portuguesa de sucesso nos teatros londrinos - Sofia Escobar. Afinal há talento.

Chegando ao ponto de não retorno

 
(Foto: Diesel.com)


Ainda a propósito do ambiente, aquela que coisa que na Madeira é de somenos importância que as pessoas, um estudo realizado por investigadores norte-americanos e europeus, e publicado no Anuário da Academia Americana de Ciências, vem definir concretamente os níveis críticos que, caso sejam ultrapassados em 2050, não vão permitir o cumprimento dos objectivos de variação máxima de temperatura no final do século (que é limitar o aumento da temperatura a dois ou três graus acima dos valores da era pré-industrial), com as tecnologias energéticas actuais.


Apesar do semi-fracasso de Copenhaga, os responsáveis governamentais devem fazer tudo o que puderem para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa nos próximos 40 anos, para evitar um ponto de não retorno a longo prazo.


É que ultrapassado este ponto...

domingo, janeiro 10, 2010

Cantar em nome da justiça climática

 
Para chamar a atenção da população mundial sobre a urgência do tema, mais de 60 artistas aceitaram o convite da campanha TicTacTicTac e cantaram em nome da justiça climática. Duran Duran, Jamie Cullum, Milla Jovovich, Fergie e Lily Allen são apenas algumas das estrelas envolvidas.


Podem se juntar à campanha e tornar-se um Aliado do Clima fazendo o download gratuito desta música "Beds are Burning" em www.timeforclimatejustice.org.


 

Tck Tck Tck - 'Beds are Burning'

sexta-feira, janeiro 08, 2010

Legalização do Casamento Homossexual

 
(clicar para aumentar)


A esquerda parlamentar aprovou hoje a proposta de lei do Governo que legaliza o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas exclui a adopção, diploma que mereceu o voto contra das bancadas do PSD e CDS-PP. A proposta do Governo foi aprovada com os votos favoráveis das bancadas do PS, PCP, BE e do partido ecologista Os Verdes.


Há mais de um ano eu coloquei no Cantinho um post cujo título era a "Semântica do Casamento", onde sugeria que se mudasse a definição de casamento civil para outra coisa qualquer. Não foi isso que foi feito -evidentemente. Sem sujeitar a questão a qualquer tipo de referendo, e com o Parlamento dividido entre esquerda e direita, foi aprovado o projecto socialista do casamento homossexual.


Façamos o referendo agora. Concorda com o casamento homossexual ou deverá ser criada uma nova figura a prever esta situação? Ou quem sabe, deixar tudo na mesma, regulado pela união de facto. Digam de vossa justiça.



 
Votem e partilhem comigo as vossas opiniões.

quinta-feira, janeiro 07, 2010

Na Internet há vida depois da morte

 


 
A 23 de Dezembro de 2006, María Amelia Soliño fez 95 anos e recebeu do neto uma prenda de aniversário invulgar: um blogue. "A minha vida mudou", escreveu então. "Agora posso comunicar com todo o mundo"
. A reportagem que se segue foi publicada ontem no Público on-line, pelo jornalista João Pedro Pereira e é muito interessante. Vale a leitura.


« A notícia espalhou-se, a imprensa internacional desdobrou-se em artigos sobre "a blogger mais velha do mundo" (ou a "avó blogger", como também era conhecida) e María Amelia, natural da Galiza, tornou-se uma pequena celebridade. No blogue, publicou textos e vídeos sobre o quotidiano, coleccionou as páginas dos jornais onde apareceu e, em lugar de destaque, colocou um link para várias fotos de um encontro seu com o primeiro-ministro espanhol, José Luis Zapatero.


O último post no blogue data de 21 de Maio do ano passado e foi escrito por alguém da família. Começa de forma simples: "María Amelia López Soliño faleceu ontem, quarta-feira, 20 de Maio de 2009, às seis da manhã."


As centenas de textos e as dezenas de fotos e vídeos publicados por María Amelia continuam on-line, à disposição de qualquer pessoa, no endereço amis95.blogspot.com. O blogue está alojado no Blogger, o mais conhecido serviço deste género e que é propriedade da Google.


A Google é uma empresa que tem recursos suficientes para manter on-line os blogues para lá da morte dos utilizadores. E, para além disto, os familiares de María Amelia têm o nome de utilizador e a palavra-passe para aceder à área de administração do blogue, o que lhes permite manter a conta activa - ou até apagar tudo, se algum dia o quiserem fazer. Mas nem todos os casos são como este.


Na maior parte das vezes, a palavra-passe de um blogue, conta de e-mail ou perfil numa rede social são conhecidos apenas pelo próprio utilizador. E, quando este morre, fica frequentemente ao critério da empresa que presta o serviço a decisão sobre o que fazer com o "legado digital". Às vezes, o problema é uma questão emocional (é o caso da família que vê a página do Facebook do familiar que morreu ser inundada de comentários). Noutras situações, há assuntos importantes (como um negócio) que ficam pendentes porque os herdeiros não conseguem aceder a uma conta de e-mail.


A política seguida pelas muitas empresas que prestam serviços on-line varia. O Facebook, por exemplo, transforma o perfil dos utilizadores que morrem numa espécie de memorial. Isto significa que alguma informação é retirada e que a página fica disponível apenas para aqueles que tiverem sido confirmados pelo utilizador como "amigos".


Para que o Facebook transforme um perfil num "memorial" é preciso que alguém comunique a morte do utilizador (há no site um formulário próprio para isso) e envie uma prova de morte (uma certidão de óbito ou uma notícia sobre o assunto, por exemplo). O Facebook nunca entrega a palavra-passe de acesso. Mas, a pedido dos familiares, há a possibilidade de apagar a conta completamente.


Oportunidade de negócio


Já o Twitter não especifica nos termos de utilização as regras que segue para lidar com a morte dos seus utilizadores e não respondeu a um pedido de esclarecimento do P2. Mas um porta-voz da empresa já afirmou publicamente que a política do Twitter passa por encerrar a conta a pedido de familiares, mas nunca facultar os dados de acesso.


Muitos serviços permitem que os familiares ou amigos próximos dos utilizadores que morreram acedam aos dados - mas o processo é lento. O GMail (o serviço de e-mail da Google) avisa que é preciso esperar um mês depois de enviados os comprovativos da morte do utilizador, tempo que é usado pela empresa para verificar a autenticidade da documentação. Um acesso mais rápido só será possível se houver uma ordem judicial.


Em Portugal, a lei obriga as empresas a cederem os dados aos herdeiros, esclarece o advogado da PLMJ Manuel Lopes Rocha. "Quando alguém morre, os herdeiros herdam um conjunto de direitos que não se traduzem só num património. Há um conjunto de direitos de personalidade que podem incluir a correspondência e de direitos imateriais, como os direitos de autor, que os herdeiros, naturalmente, herdam", explica o especialista. "Ora, não há razão para que não se aplique aos "bens digitais" idêntico regime. Se, para exercer esses direitos, eu tiver de solicitar a uma empresa que me dê acesso a esses elementos, ela é obrigada a dar-me acesso."


O problema é que estes processos tendem a ser burocráticos. Ter que comprovar a morte de um utilizador perante os responsáveis dos vários serviços on-line que este tenha usado pode ser uma tarefa difícil. Como não há problema que não dê origem a uma oportunidade de negócio, já há quem esteja a vender soluções para a passagem da herança digital.


O Legacy Locker é um de vários sites que permitem aos clientes guardarem palavras-passe e outros dados de acesso a serviços on-line. Em caso de morte, o Legacy Locker encarrega-se de enviar a informação às pessoas que tenham sido designadas pelo cliente. O serviço custa 30 dólares anuais (21 euros), ou 300 dólares (210 euros) para uma subscrição vitalícia (enquanto a empresa durar, pelo menos). Há uma modalidade gratuita, mas tem várias limitações.


Deixar conselhos aos filhos


O Great Goodbye é outro serviço que encontrou na morte um modelo de negócio. Aqui, os utilizadores podem escrever e-mails (ou gravar ficheiros de som e vídeo) para serem enviados apenas depois da morte. Ao registar-se, o utilizador recebe um código que deverá entregar a pessoas de confiança. Quando uma destas pessoas introduz o código, o utilizador, caso esteja vivo, tem 21 dias para evitar que os e-mails sejam enviados. Findo esse prazo, a correspondência segue para os destinatários pré-definidos.


Este tipo de serviços pode ser usado para facilitar a vida aos herdeiros. Mas também pode servir para enviar mensagens de parabéns (há sites que permitem enviar e-mails em datas exactas - por exemplo, o aniversário de alguém), para deixar conselhos aos filhos ou até para revelar um segredo que nunca se teve coragem de contar em vida.


Alojamento permanente


Desde que explodiu a moda dos blogues, há meia dúzia de anos, que muitos políticos, escritores, cientistas e demais pensadores abriram um espaço de publicação on-line. O estilo varia entre a crónica pessoal e textos sobre as áreas em que cada um é especialista. Rapidamente, e por entre as banalidades do quotidiano, a blogosfera e os sites pessoais transformaram-se num enorme repositório de informação e conhecimento útil - e não há garantia de que este acervo permaneça on-line quando os autores morrerem (embora sites como o Internet Archive se dediquem a armazenar os conteúdos da Web, fazem-no de forma incompleta).


Há duas possibilidades para abrir um blogue. Uma, menos comum, passa por comprar um domínio próprio (ou seja, um endereço de Internet único, do estilo oseunome.com) e por contratar um serviço de alojamento de páginas. O preço do registo de um domínio ronda os dez euros anuais. O preço do alojamento (isto é, o espaço num servidor onde ficam armazenadas as páginas e toda a informação) varia muito - para uso pessoal, basta gastar umas poucas dezenas de euros por ano.


Os bloggers que optam por esta modalidade querem ter mais liberdade sobre a configuração do respectivo blogue e conseguir uma identidade mais forte na Internet. Mas há um senão: assim que a factura deixar de ser paga, o domínio volta a ser posto à venda e a informação alojada no servidor perde-se.


A opção mais comum - por ser mais barata, mais rápida e tecnicamente mais simples - é abrir um blogue num serviço gratuito como o Blogger ou o Wordpress. Deixa de haver uma factura para pagar - mas o blogue só permanecerá on-line enquanto a empresa que presta o serviço assim o quiser.


O veterano da blogosfera Dave Winner - já descrito em alguns jornais (e pelo próprio) como o "pai" dos blogues - indicou no seu popular blogue Scripting News uma possível solução para o problema: pagar a uma empresa credível uma quantia suficiente para que esta assegure a permanência on-line da informação. Winner afirmou estar disposto a pagar dez mil dólares por um serviço deste género. Seria o preço de uma morada permanente na Internet. »

quarta-feira, janeiro 06, 2010

A melhor árbitra do mundo é Portuguesa

 
(Foto: Alberto Hélder)


Sandra Silva é a primeira mulher portuguesa a chegar à arbitragem internacional em futsal. A juíza vai receber as insígnias da FIFA esta quarta-feira na sede da Federação Portuguesa de Futebol.


Sandra Maria Novais Silva, nasceu em 18-03-1976 na Republica Federal da Alemanha mais propriamente na cidade de Wiesabaden. Desde 1998 em actividade, ascendeu à 3.ª categoria Nacional na época 2003/04 tendo-se classificado na 13.ª posição, prestando provas para a 2.ª categoria como suplente, mas não entra por não haver vagas apesar de ter ficado apta. Na época seguinte ascende à 2.ª Nacional após ter sido classificada na primeira posição. A sua ascensão meteórica culmina com a chegada à 1.ª Nacional após uma época na 2.ª Nacional onde ficou em terceira.


Aos 33 anos, a técnica de higiene e segurança no trabalho é reconhecida pela FIFA como a melhor juíza do mundo em futsal.

Flashback

 

Dire Straits - Money for Nothing (1985)

Estado intervém... que remédio!

 


A cobrança de taxas nas caixas Multibanco e de taxas nos terminais de pagamento automáticos pelas instituições de crédito pode ser penalizada com coimas até 45 mil euros, de acordo com o Decreto-Lei n.º 3/2010, publicado hoje no Diário da República n.º 2, Série I.


Este diploma visa dois objectivos: por um lado, proibir a cobrança de encargos pelas instituições de crédito nas operações realizadas nas caixas Multibanco e, por outro, proibir igualmente a cobrança de encargos pelos comerciantes de serviços de pagamento nas operações realizadas por meio dos terminais de pagamento automáticos.


Não posso dizer que estranho que se tenha chegado a este ponto, atendendo à credibilidade que a Banca hoje tem. Mas, poder-se-ia crer que, no mínimo, poderiam procurar restabelecer alguns laços de confiança para com os seus clientes. Mas o que é que acontece? Cortam os “plafons”, cobram taxas injustas e injustificáveis, fazem gato sapato do cliente que se atrasa a pagar uma prestação. E obrigam o Estado a ter de intervir numa situação desta natureza. Impensável.

terça-feira, janeiro 05, 2010

Burj Khalifa

 
(Foto: TimeOut Dubai)


Iniciada em 2004, a construção do edifício custou 1,5 mil milhões de dólares (cerca de 1,04 mil milhões de euros). O soberano do Dubai, o xeque Mohammad ben Rached Al-Maktum, inaugurou uma placa e pronunciou um discurso, durante o qual "rebaptizou" a torre de Burj Khalifa (era designada de Burj Dubai), em nome do chefe de Estado da federação dos Emirados Árabes Unidos, xeque Khalifa ben Zayed Al-Nahyane, de que o Dubai faz parte.


A torre Burj Khalifa é o arranha-céu mais alto do mundo com 828 m de altura. Loucura!

domingo, janeiro 03, 2010

Contra o ano novo!

 
(Foto: Pascal Lachenaud/AFP)


Nada como começar o ano em grande. Ou, como alguns pretendem, nem começa-lo. Um grupo chamado 'Fonacon' (Frente contra o Ano Novo) organiza desde 2006, na véspera do ano novo, em Châteauneuf-la-Forêt, França, um protesto contra a mudança de ano. A razão é simples: os membros do movimento queriam ficar no ano 2009. Julgo que não tiveram muito sucesso. Mas fica registado o protesto.

sexta-feira, janeiro 01, 2010

Feliz Ano Novo

 


 
A todos os meus amigos e leitores do Cantinho, votos de um excelente 2010.